Does it make any sense?! No? So, welcome.
05
Set 08
publicado por Andi, às 23:33link do post | comentar | ver comentários (6)

Não é segredo para quase ninguém, que existem épocas que eu quase devoro livros, literalmente. Ok, quase literalmente.

 

Assim sendo,senhoras e senhores, crianças e idosos vou apresentar-vos os meus companheiros deste Verão (desculpa Jossy :S)  :

 

O velho que lia Romances de Amor, de Luís Sepúlveda

 

 

O primeiro que li. Simples, mas encantador, a meu ver. Gostei de todo o aspecto da selva amazônica. Uma excelente obra e que se lê muito bem.

 

 

O Ano da morte de Ricardo Reis, de José Saramago

 

 

Imagem péssima. O livro não foi muito melhor. Sinceramente não volto a ler Saramago nos próximos dez anos. Péssima experiência, ia a um terço do livro e já sabia como ia acabar, pode parecer arrogância, mas é a verdade. Quatrocentas páginas, cinquenta de história propriamente dita, e o resto notícias, pormenores futeis e insignificantes, enfim que dizer,demore quase o Verão todo nisto, grande desperdício.

 

A pérola, de John Steinbeck

 

 

De todos estes o melhor que li. Igualmente uma história simlpes, mas com uma grande carga simbólica, é uma espécie de conto popular, aliás a história tem  essa raíz popular. Obrigado ao seu dono por me ter emprestado xD

 

Lolita, de Vladimir Nabokov

 

 

Ainda vou a meio, mas já percebi toda a polémica e escândalo que envolveu este livro quando saiu. E mais não digo.

 

 

música: Foo Fighters - Learn To Fly

publicado por Andi, às 15:02link do post | comentar

É engraçado como um momento por qual ansiámos há muito nos assusta profundamente quando se aproxima. Temos medo da mudança, de não nos adaptarmos, pelo menos eu tenho.

 

Numa selva descontrolada de betão, que arrasta avassaladoramente todos os seus constituintes, sufocantemente impessoal, sem saída a não ser uma estação de metro perdida no tempo, com as paredes riscadas com corrector que já vai a meio, pois já riscou metade das mesas da escola, com jornais de outros tempos, percorrendo rapidamente o chão sujo, alimentados por não sei que aragem... Uma cidade gigantesca espera por mim, ou não, apenas aguarda-me sem impaciência alguma para me deglutir dentro das suas fronteiras digestivas e lançar-me ácidos corrosivos até nada restar de mim nada, nem a minha memória, nem uma foto minha, por mais antiga que seja a mostrar-me morena de pele e sorridente, apagar por completo tudo o que me diz respeito.

 

 

Retrato negativista. Negro. Propositadamente constrangedor e ameaçador.

 

 

Se eu acredito nisso?! Não. Pura e simplesmente.

 

Admito, sou ingénua. Gosto de ver o lado bom das pessoas, tudo me parece fantástico, gosto de ver um miúdo a brincar e a divertir-se genuinamente, não pensando se ele eventualmente é cruel para as outras crianças, acho piada a uma pista de carrinhos de choque vazia, gosto de ir à praia apenas para me sentir livre, areia e mar apenas. 

 

Não sei se será fácil esta mudança, isso depois vê-se, mas é algo por o qual tenho esperado, por ser isso mesmo, uma mudança. 

 

É certo que serei just another girl in the town. Mas será isso mau?! Numa perspectiva geral, não acho.  Até acho piada ao mistério e ao desconhecido, pois a uma curiosidade inata faminta, e por vezes aborrecida o desconhecido apresenta-se como uma verdadeira iguaria. Às vezes interrogo-me se conseguirei atingir aquilo que quero, mas não é disso que falo, aliás do que falo?!

 

Isto parece um post cheio de raiva e rancor por uma fugitiva de um manicómio e destinado a um sacana convencido qualquer. E é mesmo. Portanto, lê sacana!

01.Carvel - John Frusciante (Shadows Collide With People - Acoustic)

 

 

 

 

When I try I force it out
Never looking in only out
Now is the time for a millions to lose
Never the same since I lost you
Running me out the town
Wishing the best around
Would only get off my back
Heaven receives you and throws you back

Sending a dummy to my God (x4)

Driving to eat a Carvel cake
Somewhere you know isn't where you think
Have you gone away
Have you gone, have you gone away already
(come back, come back, come back, come back)
Have you gone, have you gone away already
(come back, come back, come back, come back)
Have you gone, have you gone away already
(come back, come back, come back, come back)
Have you gone, have you gone away already

All the good times are on their way
Up and down that's how energy stays alive
Up and down that's how energy stays alive
And I wouldn't have it any other way

 

PS. Prometo que não faço mais posts rancorosos e psicopatas como este. Eu sei que já postei aqui a música, mas penso que já se esqueceram, continuarei a relembrar-vos!

 

PSS. Não acreditem em tudo o que digo...

sinto-me: maléfica e infantil xD
música: John Frusciante - Carvel

pesquisar neste blog
 
Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

15
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29


subscrever feeds
blogs SAPO