Does it make any sense?! No? So, welcome.
17
Dez 08
publicado por Andi, às 17:22link do post | comentar | ver comentários (6)

Estou doente. Estou insana. Estou desregulada a todos os níveis. Estou passando para o lado negro da força. Estou a degenerar, a oxidar num ritmo supersónico. Estou alucinando. Estou noutra dimensão. Estou em nenhuma dimensão, em nenhum tempo, em nenhum espaço, em nenhum conceito, em nenhuma lógica. Estou a metamorfosear-me. Estou??

 

Não, não estou. Apenas tenho diarreia mental. É uma condição patológica relativamente comum, a fluência exagerada de pensamentos merdosos. Que fazer para curar esta doença? Não gosto da designação de doença, parece que é mau, e isso depende da perspectiva, quero estar disponível para todas como se fosse estrábica, de uma forma muito estranha e retorcida, de um modo impossível que deliciosamente me permitisse olhar em todas as direcções, ver tudo em todos os sítios, não me limitar ao espaço, à visão enganadora que devia ser clara e reveladora da realidade. Iremos chamar-lhe de outra coisa qualquer, o que nos vier à cabeça, não interessa, pois o que acontece é completamente independente das nossas palavras, embora às vezes queiramos que não, e como narcisistas acreditamos cegamente que somos a influência de tudo.

 

 

Como eu ia a dizer, estou com diarreia mental. Os esfíncteres da minha mente não funcionam, aliás, a minha mente não funciona, nada funciona. O que é funcionar?

 

Enxurradas de situações hipoteticamente patéticas percorrem os caminhos sinuosos do intestino grosso, e nada é absorvido nesse processo, o essencial está a sair, a escapar-me. Sinto-me intelectualmente desidratada, deliro, só consigo sentir a boca seca, à falta de palavras e discursos inteligentes e inteligíveis. Mas eles não existem.

 

Será que algo disto existe? Sim, estou a ser céptica, mas estarei a tornar-me numa? A questionar tudo o que os outros fazem, tendo um desejo mórbido de não me tornar como eles, de não fazer o que eles dizem, de manter a minha integridade, ainda que má, é minha! Não vejo lógica em quase nada, e sim eu sei que digo que tudo é irracional, mas existe um certo limiar onde o irracional se torna absurdamente ilógico. Demasiado para que seja processado, pelo menos por mim, e assim surge a minha diarreia mental.

 

Bem, e para dar uma de hipocondríaca, não que não o seja, mas porque isso não se admite, pelo menos assim abertamente [grande piada, como se alguém fosse saber por aqui, afinal a diarreia mental tem um aspecto positivo, melhora o sentido de humor... (será preciso dizer algo mais?)]  o grande remédio para esta diarreia é uma viagem, extra-corporal, extra-sensorial, extra-terrestre, extra-continente, extra-pessoal, extra-tudo. Simplesmente extra, quero ver-me por fora, saber os meus limites, saber o meu potencial (mesmo que seja nulo).

 

Queria escrever algo que vos pudesse interessar, mas não consigo, nem sei se alguma vez consegui, preciso dessa viagem, ou pelo menos da sua ilusão. Ainda assim escrevi isto? Interessa-vos?  [Esta era outra piada...]

sinto-me: ill
música: Can't stop - Red hot chili peppers

pesquisar neste blog
 
Dezembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


subscrever feeds
blogs SAPO