Does it make any sense?! No? So, welcome.
28
Fev 10
publicado por Andi, às 17:45link do post | comentar

Nos últimos tempos tenho tentado ganhar novamente o hábito de leitura que tive desde muito cedo. Nunca cessei de ler, mas com tantos trabalhos e materiais da faculdade para ler, tenho ficado cansada nesse aspecto, pelo que ultimamente, os filmes e as séries preenchem os meus tempos livres. Quero voltar a esse ritmo feroz de leitura todos os dias, nos tempos de insónias e tempos mortos. O último livro que li foi:

 

O Afinador de Pianos, de Daniel Mason

 

 

Uma amiga minha tinha este livro, e resolvi requisitá-lo na biblioteca para lê-lo, começou bem o livro, pareceu-me interessante a descrição exótica da Birmânia já inexistente. Contudo à medida que fui avançando na narrativa, esta pareceu-me prolongar-se demasiado, arrastando-se. Cheguei ao fim com uma sensação de ser enganada, achei o fim demasiado previsível e fácil e a narrativa no todo com muitas pontas soltas. No total é um livro que se lê só para descontrair, ou porque não se tem mais nada para ler.

 

Classificação: 12/20

 

 

Neste momento estou a ler Memórias de uma Menina Bem-Comportada, de Simone de Beauvoir.

 


24
Out 09
publicado por Andi, às 13:05link do post | comentar

Como já vem a ser habitual, venho aqui dar a conhecer o que têm sido a minha leitura nestes últimos tempos, como estive de férias, tive muito mais tempo, o qual aproveitei para ler alguns livros que tinha guardados, aqui vai uma espreitadela por essa leitura de Verão.

 

 

A Queda de Atlântida, de Marion Zimmer Bradley

 

 

Já tinha começado a ler um livro da autora anteriormente, mas por alguma razão que não me lembro não cheguei a acabar. Achei este livro muito decepcionante, não gostei da história, achei que não tinha uma continuidade. Não gostei, ponto.

 

Classificação: 7/20

 

As Aventuras de Tom Bombadil, de J.R.R. Tolkien

 

 

Bem, este é um clássico, decidi ler para também ver como era a escrita de Tolkien para além da trilogia e do Hobbit, que também está relacionado com a trilogia, que foram os livros dele que li até agora. Apesar de ter uma primeira parte daqueles poemas característicos dele, e que eu pessoalmente não aprecio muito, as outras histórias compensaram. Não tem qualidade comparável com os outros livros, mas pronto é Tolkien. Tolkien é Tolkien.

 

Classificação: 13/20

A Fúria das Vinhas, de Francisco Moita Flores

 

 

Porque não leio só escritores estrangeiros, A Fúria das Vinhas foi a minha escolha. Um livro com muita História por trás, com traços de Ciência também, um livro que falta de perseverança e teimosia, características que eu aprecio, aliás como apreciei o livro também.

 

Classificação:16/20

 

Orgulho e Preconceito, de Jane Austen

 

 

 

Livro da famosa escritora inglesa Jane Austen, considerado por muitos a sua maior obra-prima. Li este livro quando fiquei doente (nas férias, que sorte a minha!) e li-o muito rápido, em dois, três dias despachei-o. Apesar de ser uma escrita muito pomposa e formal gostei muito do seu desenvolvimento e consegui antever algumas críticas subliminares à sociedade da altura, bem como aos costumes  e modo de pensar e agir. Após ler o livro vi o filme e agradou-me, embora se o contrário tivesse acontecido, presumo que não gostaria tanto do livro ou vice-versa.

 

Classificação: 19/20

 

O triunfo dos Porcos, de George Orwell

 

 

Livro relativamente simples de ler, mas com uma mensagem bastante poderosa. Uma fábula política que nos faz pensar.

 

 

Classificação: 15/20

Cem Anos de Solidão, de Gabriel Garcia Marquez

 

 

Gostei particularmente deste livro, achei a história muito interessante, gostei da forma como foi articulada, enfim, gostei mesmo. Tenho uma certa empatia pelos escritores da América Latina, não me perguntem porquê, mas penso que o seu modo de escrever é peculiar, é diferente.

 

Classificação:19/20

 

O Cão dos Baskervilles, de Sir Arthur Conan Doyle

 

 

 

Foi o primeiro livro deste grande senhor que li, e certamente não será o último. Comecei pelo fim é certo, mas os dados revelados neste livro não me irão tirar o prazer desta saga. Gostei do livro, é simples e traz suspense. No entanto, achei que o fim foi revelado um pouco antes do que era desejável, retirando um pouco aquela ansiedade de saber o final.

 

Classificação: 16/20

 

 

Os Despojos do dia , de Kazuo Ishiguro

 

 

Finalmente o último livro escolhido revelou-se uma escolha muito, muito, muito triste. Eu quando me decido a ler um livro, leio-o até ao fim, não deixo pelo meio, não espero um mês para voltar a ler, é verdade, eu massacro-me, mesmo que o livro esteja a ser uma tortura. Este livro foi um deles. Livro chato, chato, chato! O autor de origem japonesa, mas que cresceu sendo um inglês, não podia ter tornado o livro mais chato. Li este livro pensando que algo se iria alterar, algo iria trazer alguma vivacidade à leitura, mas nada. Eu sei que o autor pretendeu ter uma crítica sátira e irónica da sociedade inglesa que o livro retrata, ao típico mordomo inglês, mas, na minha opinião, não o fez da melhor forma.

 

Classificação: 4/20

 

 

E pronto, eu sei que esta espécie de rubrica saiu um bocado tarde, mas cá está. Neste momento encontro-me a ler A Ordem Natural das Coisas, de António Lobo Antunes,

sinto-me: rato de biblioteca

19
Nov 08
publicado por Andi, às 12:44link do post | comentar | ver comentários (7)

"A cada ferido de emboscada ou de mina a mesma pergunta aflita me ocorria, a mim, filho da Mocidade Portuguesa, das Novidades e do Debate, sobrinho de catequistas e íntimo da Sagrada Família que nos visitava a domicílio numa redoma de vidro, empurrado para aquele espanto de pólvora numa imensa surpresa: são os guerrilheiros ou Lisboa que nos assassinam, Lisboa, os americanos, os russos, os chineses, o caralho da puta que os pariu combinados para nos foderem os cornos em nome de interesses que me escapam, quem me enfiou sem aviso neste cu de Judas de pó vermelho e areia, a jogar as damas com o capitão idoso saído de sargento que cheirava a menopausa  de escrituário resignado e sofria do azedume crónico  da colite, quem me decifra o absurdo disto, as cartas que recebo e me falam de um mundo que a lonjura tornou estrangeiro e irreal, os calendários que risco de cruzes a contar os dias que me separam do regresso e apenas achando  à minha frente um túnel infindável de meses onde me precipito mugindo, boi ferido que não entendo, que não logra entender e acaba por enterrar o triste focinho molhado nos ossos de frango com esparguete do rancho, do mesmo modo, percebe, que aqui na sua companhia, me sinto cavalo de narinas enfiadas na alcofa de vodka, mastigando o feno azedo do  limão."

 

Excerto retirado do livro "Os Cus de judas", de António Lobo Antunes

 

Fonte da imagem

sinto-me: ET
música: Breaking the girl - Red Hot Chili Peppers

05
Set 08
publicado por Andi, às 23:33link do post | comentar | ver comentários (6)

Não é segredo para quase ninguém, que existem épocas que eu quase devoro livros, literalmente. Ok, quase literalmente.

 

Assim sendo,senhoras e senhores, crianças e idosos vou apresentar-vos os meus companheiros deste Verão (desculpa Jossy :S)  :

 

O velho que lia Romances de Amor, de Luís Sepúlveda

 

 

O primeiro que li. Simples, mas encantador, a meu ver. Gostei de todo o aspecto da selva amazônica. Uma excelente obra e que se lê muito bem.

 

 

O Ano da morte de Ricardo Reis, de José Saramago

 

 

Imagem péssima. O livro não foi muito melhor. Sinceramente não volto a ler Saramago nos próximos dez anos. Péssima experiência, ia a um terço do livro e já sabia como ia acabar, pode parecer arrogância, mas é a verdade. Quatrocentas páginas, cinquenta de história propriamente dita, e o resto notícias, pormenores futeis e insignificantes, enfim que dizer,demore quase o Verão todo nisto, grande desperdício.

 

A pérola, de John Steinbeck

 

 

De todos estes o melhor que li. Igualmente uma história simlpes, mas com uma grande carga simbólica, é uma espécie de conto popular, aliás a história tem  essa raíz popular. Obrigado ao seu dono por me ter emprestado xD

 

Lolita, de Vladimir Nabokov

 

 

Ainda vou a meio, mas já percebi toda a polémica e escândalo que envolveu este livro quando saiu. E mais não digo.

 

 

música: Foo Fighters - Learn To Fly

30
Mar 08
publicado por Andi, às 17:57link do post | comentar | ver comentários (2)

Depois de ter lido Chocolate,  ler esta continuação foi simplesmente delicioso. Sendo um livro que vai de encontro ao que já estávamos habituados no outro, toda a magia que envolve a confecção do chocolate, o fabrico dos doces, o pormenor dos enfeites,acho que o ultrapassa levando-o para uma outra perspectiva mística mais forte, e descentraliza a figura de Vianne, para passar a ser vital também a presença de Anouk, e de Rosette.

 

 

Gostei das várias perspectivas que o livro transmitia, e que me deixou, por vezes, quase sem fôlego, tal era a curiosidade. Coisa que já me venho habituando nos livros de Joanne Harris. Gostaria também de ver este livro adaptado para cinema, seria interessante ver o resultado, se bem que geralmente, fico um pouco decepcionada, e só um aparte, gostaria de ver Johnny Deep outra vez como Roux.

 

música: Clocks - Coldplay
sinto-me: ansiosa

20
Fev 08
publicado por Andi, às 20:07link do post | comentar

"Mau tempo no canal" foi uma constante ao longo de três semanas (tanto tempo!) nas minhas leituras. Escrito pelo ilustre Vitorino Nemésio, que bem a propósito faz 30 anos que morreu ( não gosto de usar o termo aniversário para a data da morte...). Tudo se passa no grupo central destes ilhéus caídos no mar de forma aleatória, especificamente, nas ilhas do Pico, Faial, São Jorge e Terceira. Está classificado como um romance que relata os amores desencontrados de Margarida Dulmo e João Garcia, mas, ou estupidez minha, ou não o percebi assim. Interpretei a história como uma perspectiva sobre as ilhas açorianas e a sociedade da época aos olhos daquela figura feminina, destemida e corajosa, mas no entanto passiva. Existe uma força aparente que governa tudo, desde as pessoas até às manifestações da própria Natureza, que se vêm nas manifestações peculiares do tempo e das profundezas vulcânicas, e que parece vergar todos à sua vontade, uma força determinantemente insular,ou ilhéu, como aparece algumas vezes no livro.

As situações do dia-a-dia ainda se parecem tanto como acontece hoje surpreendeu-me, e certas expressões fizeram-me rir, porque me são muito familiares, e me fizeram pertencer um pouco mais a esta terra. Não sou muito de patriotismos, mas terei sempre, enquanto me considerar eu, esta costela açoriana.


30
Jul 07
publicado por Andi, às 19:15link do post | comentar | ver comentários (7)

Com as férias a decorrer, todos nós tentamos (nem sempre conseguimos) encontrar algo para fazer....  Interessante ou não, cultural ou não, estúpido ou não... Irracional ou não... Não importa.

A verdade é que todos nós, ou pelo menos uma grande parte tenta  ocupar-se nas férias.

Eu ocupo-me a ler, uma significativa parte do tempo. Duvido que alguém vá ler este post, pois só o título já vai assustar muita gente... Mas quando chegarem a esta parte já vão achar que sou um pouco maluca.  Possivelmente, e se forem muito corajosos e chegarem ao fim, vão achar que sou doida varrida!!!! É verdade, eu gosto mesmo de ler,  é uma ocupação que mantenho há bastante tempo, quando posso e não quando tenho pachorra, pois isso para ler não me falta... Mas, aparentemente, são poucas as pessoas que compartilham este gosto e necessidade de ler... Porquê? Não se sabe bem, é quase uma espécie de moda, e como tudo o que é moda é religiosamente seguido, portanto ler é uma porcaria... A modos que não sou a única irracional por aqui.

Talvez digam que ler é mesmo chato, e aborrecido, e enfadonho, mas não me digam que ver televisão é muito mais apelativo e interessante que ler!!!! Não digo que ver televisão é mau, até porque existem bons programas e séries, mas por outro lado, existe muita treta, muita pseudo-televisão, como um amigo meu diria. Para melhorar as coisas (?!?!?!) muitas vezes nem se escolhe o que se vai ver, é a primeira treta que aparecer à frente! Subjugadas, hipnotizadas e arrastadas por uma hipnose qualquer que lhes foi predestinada, as pessoas simplesmente perdem todo o seu espírito critico (se é que alguma vez o tiveram), e não conseguem ver um palmo à frente do seu nariz.

Mas não é pela televisão e pela mediocridade dos programas que escrevo este post. É pelos livros, por esse gosto inesgotável, insaciável e inegável....Contudo, até nos livros é necessário avaliar, pois também existem livros que não valem o papel em que são escritos!

Actualmente, na minha mesinha de cabeceira (é só uma expressão, o livro vagueia um pouco por todo a casa :P) reside O Senhor Dos Anéis- Parte Um: A Irmande do Anel, e  para quem não sabe, escrito e muito bem por J R R Tolkien. Não posso deixar aqui de referir a excelente obra deste autor, com a história mais fantástica que já li até hoje. E não pensem que só li livros que nos é exigido na escola (e que mesmo assim ninguém lê), já li vários autores e no mundo da fantasia e o irreal, este foi e será o melhor dos escritores. O modo genial como personagens, lugares, acontecimentos, datas é engendrado ultrapassa-me! As histórias que os seu livros descrevem tão brilhantemente passam-se num mundo alternativo ao nosso e que por vezes, tal é a envolvência do livro, acredito que existe e que estou lá de passagem, como uma turista.

Portanto, esta "viagem" ao mundo de Tolkien é recomendada por mim a todos os que gostam de viajar, e que têm alguma criatividade.

Já que mencionei um dos grandes vultos da literatura pa mim, já agora vou publicitar os meus autores preferidos como Joanne Harris e Isabel Allende! E não, não aprecio assim muito Nicholas Sparks... Pois sei que é quase uma constante na população feminina gostar de Nicholas Sparks, pois isso já faz parte do que se pode dizer e fazer sem perder prestigío social(se é que isso existe)...

Acho que me alonguei um pouco neste post. Também na faz mal, ninguém vai lê-lo. Melhor, não foi feito para ninguém o ler na integridade... Pois dá muito trabalho!!! (Ler...)

 

PS: Se alguém chegou a esta parte e leu linha por linha deste post, é um verdaderio mártir, porque leu algo absolutamente gigantesco e cansou os olhos. Os meus parabéns!


pesquisar neste blog
 
Novembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


subscrever feeds
blogs SAPO